Modelação de Governo Electrónico para Países Emergentes - Caso de São Tomé e Príncipe -

Artur Cruz

Resumo


O Governo Eletrónico é assumido, nos tempos que correm, como preocupação comum e
transversal a todos os Estados modernos e via para garantir a desmaterialização de
serviços públicos, proporcionar mais-valia aos cidadãos e reduzir gastos do Governo. A
especificidade como se estruturada a AP, muito caracterizada por uma multiplicidade e
complexidade de serviços público, que muito difere do sector privado, faz com que os
diversos métodos existentes sejam limitados ou inadequados ao planeamento global de
Sistemas de Informação (SI) da AP. Assim, afigurou pensar-se na modelação de um
método de planeamento global de SI capaz de suportar sistemas complexos e
heterogéneos, como os da AP, uma vez que os existentes estão vocacionados para o sector
privado com o objetivo único de criar vantagens competitivas das empresas junto à
concorrência, além de que, o ambiente envolvente, os objetivos, o modus operandi, o
modus vivendi, se diferirem da realidade estatal. Respeitando as diferenças acima
referidas, procura-se nesta investigação a modelação do Governo Eletrónico para países
emergente partindo-se da conciliação de pontos fortes de 4 (quatro) métodos num único
capaz de planear globalmente a AP.


Texto Completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.18803/capsi.v12.%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.