Um Sistema de Medição de Desempenho e Gestão Estratégica dos Tribunais

Carlos Gandarez, Rui Pedro Lourenço

Resumo


Os sistemas de medição e a gestão do desempenho são cruciais na administração de qualquer organização, pública ou privada, designadamente ao facilitar o acesso à informação crítica do negócio, em tempo real, promovendo um processo de decisão fundamentado em indicadores chave de desempenho da organização. A utilização da metodologia Balanced Scorecard (BSC) é internacionalmente usada neste contexto, já que permite estabelecer um conjunto de indicadores que estão na base dos sistemas de medição e gestão do desempenho dos tribunais. Este artigo propõe um conjunto de indicadores para um sistema de medição do desempenho e gestão estratégica dos tribunais que, partindo do modelo BSC, incorpora ainda indicadores associados ao sucesso da implementação de Sistemas de Informação (SI) no âmbito judicial. É ainda proposto que o SI a implementar adopte uma arquitectura de Business Intelligence, nomeadamente no que diz respeito à integração de dados dos diferentes SI em utilização e à disponibilização de painéis de instrumentos (dashboards) aos gestores judiciais

Texto Completo:

PDF (English)

Referências


Bilhim, J., "A construção da função qualidade nos tribunais portugueses : uma abordagem à luz da teoria institucional", Scientia Ivridica, Tomo LVII, 315 (2008), 514-540.

Breslin, M., "Data Warehousing Battle of the Giants : Comparing the Basics of the Kimball and Inmon Models", Business Intelligence Journal, Winter, 9 (2004), 6-20.

CEPEJ, European judicial systems - Edition 2008 ( data 2006 ): Efficiency and quality of justice, European Commission for the Efficiency of Justice, Strasbourg, 2008.

CEPEJ, European judicial systems - Edition 2010 ( data 2008 ): Efficiency and quality of Justice, 978-92-6986-0, European Commission for the Efficiency of Justice Strasbourg, 2010.

CEPEJ, European judicial systems - Edition 2012 ( data 2010 ): Efficiency and quality of Justice, European judicial systems - Edition 2010 ( data 2008 ): Efficiency and quality of Justice, Strasbourg, 2012.

Chaudhuri, S., Dayal, U. e Narasayya, V., "An overview of business intelligence technology", Communications of the ACM, 54 (2011), 88-98.

Clarke, T., Schauffler, R., Ostrom, B., Ostrom, C. e Hanson, R., A unifying framework for court performance measurement, National Center for State Courts, Williamsburg Virginia 23185, 2008.

CourTools, Trial Court Performance Measures, http://www.courtools.org/Trial-Court- Performance-Measures.aspx, (30 de Maio 2013).Decreto-Lei n.º 25/2009 de 26 de Janeiro. Diário da República n.º 17, 1.ª série. M. d. Justiça.

Lisboa.

DeLone, W. e McLean, E., "The DeLone and McLean Model of Information Systems Success : A Ten-Year Update", Journal of Management Information Systems, 19, (2003), 9-30.

Dunleavy, P., Margaretts, H., Bastow, S. e Tinkler, J., "New Public Management Is Dead - Long Live Digital - Era Governance", Journal of Public Administration Research and Theory, 16, (2005), 467-494.

Garoupa, N., O Governo da Justiça, Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011.

Hall, D. e Keilitz, I., Global Measures of Court Performance, International Consortium for Court Excelence (ICCE), 2012.

Hood, C., "The “new public management” in the 1980s: Variations on a theme", Accounting, Organizations and Society, 20, 2/3 (1995), 93-109.

ICCE (2008). International Framework for Court Excellence, International Consortium for Court Excelence: 72.

IGFSS, Plano de atividades 2012, Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P., Lisboa, 2012.

Kaplan, R. e Norton, D., "The Balanced Scorecard – Measures that Drive Performance",

Harvard Business Review, January-February, (1992), 71-79.

Keilitz, I., Smart Courts: Performance dashboards and business intelligence, National Center for State Courts, Williamsburg, 2010.

Lei n.º 62/2013 de 26 de Agosto. Diário da República N.º 163, 1.ª série. A. d. República.

Lisboa.

Lepore, L., Metallo, C. e Agrifoglio, R., "Court Management in the Justice System : A Performance Evaluation Model", International Laboratory for the Study of Judicial Systems, (2012a), 27.

Lepore, L., Metallo, C. e Agrifoglio, R., "Evaluating Court Performance : Findings From Two Italian Courts", International Journal For Court Administration, December, (2012b), 1- 12.

MJ, Linhas Estratégicas para a Reforma e Organização Judiciária, Ministério da Justiça, Lisboa, 2012.

Niven, P.R., Balanced Scorecard Step-byStep - Maximizing Performance and Maintaining Results, John Wiley & Sons, Inc, 2002.

Niven, P.R., Balanced Scorecard: Step-by-Step for Government and Nonprofit Agencies, John Wiley & Sons, 2003.

Pedro, J.M., "O Balanced Scorecard ( BSC ) no Sector Público", Informação & Informática, 28 (2004), 14-23.

Petter, S., DeLone, W. e McLean, E., "Measuring information systems success: models, dimensions, measures, and interrelationships", European Journal of Information Systems, 17, (2008), 236-263.

Pinto, F., Balanced Scorecard – Alinhar Mudança, Estratégia e Performance nos Serviços Públicos, Edições Sílabo, 2009.

Proposta de Lei n.º 114/XII de 30 de Novembro de 2012. Assebleia da República [DAR II série A Nº.41/XII/2 2012.11.30 (pág. 42-114)]. P. d. C. d. Ministros. Parlamento.

Rocha, O., Organização e gestão dos tribunais, Conferência no Centro Estudos Judiciários, Lisboa, 2000.

Rocha, O., Quadro Geral da Evolução da Gestão de Recursos Humanos na Administração Pública, Conferência no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa (ISCAL), Lisboa, 2005.

Vercellis, C., Business Intelligence: Data Mining and Optimization for Decision Making, John Wiley & Sons, Ltd, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.18803/capsi.v13.%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.